Menu Principal

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Conheça o Holi, o Festival das Cores da Índia

Conhecido como Festival das Cores, essa festa animada e colorida serve para, literalmente, lavar a alma.


Divertido, seguro e gratuito, ele celebra o final do inverno e o início da primavera na Índia, país de origem do Holi.


Para comemorar a chegada do bom tempo e para afugentar os maus espíritos, milhões de indianos de todas as idades vão as ruas para travar uma intensa batalha de água e pós multicoloridos, exaltando uma rica mistura de cores e pessoas.

Essa é uma festa de felicidade e esperança perante a chegada da época da fertilidade, acreditam os próprios moradores de Nova Déli, que trazem o rosto pintado com tons de amarelo, verde, azul e vermelho.




O Holi, ou Festival das Cores é realizado na Índia todos os anos entre fevereiro e março, que comemora a chegada da Primavera. Neste dia, as pessoas atiram tintas das mais diversas cores umas às outras, com muita bebida, comida e música. Essa brincadeira começa quando crianças atiram as tintas aos pais e irmãos sendo que, no final, todos estão completamente pintados e coloridos.

Essa festa também é observada no Suriname, Guiana, Trindade, Reino Unido, Ilhas Fiji e no Nepal. Em Bengala Ocidental da Índia e do Bangladesh, é conhecido como Dolyatra [Doljatra] ou Boshonto Utsav ["Festa da Primavera"].

Festival do Holi, no Suriname.

Festival de Holi no Reino Unido.
Festival do Holi, em Bangladesh.
Utah, Estados Unidos.
O principal dia, Holi, também conhecido como Dhulheti, Dhulandi ou Dhulendi, é celebrado por pessoas que atiram água e pó colorido uns aos outros. As pessoas cumprimentam-se dizendo “Holi Hai”.






De acordo com uma tradicional narrativa Hindu, a origem dessa festividade possui uma ligação com o rei dos demônios Jirania Kashipú, que tentou matar seu filho Prajlad várias vezes por causa de sua devoção do mesmo ao deus Vishnu, tendo em vista que só Kashipú podia ser venerado em seus domínios.


Na Aquarela: Narasinja esvazia o intestino de Jirania Kashipú, enquanto Prajlada e sua mãe se inclinam ante ele.
Diante de suas frustradas tentativas de matar Prajlad, Kashipú ordenou que sua filha Hólika, imune ao fogo, entrasse junto com seu irmão em uma fogueira para queimá-lo. No entanto, a filha do rei acabou ardendo na fogueira, enquanto Prajlad seguia vivo. A moral da história gira em torno da vitória do bem sobre o mal, mas hoje acaba sendo reconvertida em uma agitada e divertida celebração.

Assim, Krishna daria início a festa da cor, a qual consegue atenuar momentaneamente as gritantes diferenças sociais da rígida sociedade indiana, já que essa é a única celebração que envolve todo país.

Mais fotos desse festival nos dias de hoje:






E para fechar o Festival das Cores da Índia com chave de ouro, fique com esse vídeo feito por um dos participantes do evento:




E claro, essa festa é tão famosa que também atrai milhares de turistas estrangeiros para o país durante essas celebrações.



Se tiver gostado e quiser ver mais postagens dessa mesma Coleção, clique no álbum abaixo:



Por hoje é só. Boa sorte e até a próxima! 



Não deixe de ver também:

- Boi Garantido vs Boi Caprichoso: A guerra! Clique AQUI ou na imagem abaixo:


- La Tomatina: A guerra de tomates da Espanha. Clique AQUI ou na imagem abaixo:



- Conheça o mágico Festival das Lanternas no céu da Tailândia. Clique AQUI ou na imagem abaixo:



- Incríveis praias bioluminescentes pelo mundo. Clique AQUI ou na imagem abaixo:



2 comentários:

  1. Que legal,gostei muito desse post. Sempre fui bem curiosa para conhecer os festivais da índia,principalmente o Happy Holi, que me atrai pelas cores! ❤��

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse festival realmente é bem interessante e diferente!

      Excluir

Botão Voltar ao Topo