Menu Principal

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Parque Guanabara, em Belo Horizonte [17/10/2015]

Estarei colocando nesse momento o Relato de Viagem que fizemos para o Parque Guanabara, em Belo Horizonte.


Se você não conhece esse Parque, saiba que existe um Parque de Diversões de muito fácil acesso, bem colado na Lagoa da Pampulha. Durante o relato coloquei muitas dicas interessantes sobre esse lugar, não perca! 

Se vive na região metropolitana de BH, certamente lembrará dessa musiquinha:



Bora ver como foi o passeio?

RELATO DO PASSEIO

Esse foi o dia que elegemos para conhecer o Parque Guanabara, entretanto, antes de ir pra lá, primeiramente tive que resolver algumas "pelejas do serviço", por isso madruguei e levantei próximo das 5:30h. Da minha casa peguei um coletivo até o metrô e depois o MOVE, que foi até a UFMG. Lá fui para o trampo resolver um problema que tivemos com algumas chaves, e dali fui para a aula de espanhol, em que primeiramente tive uma revisão e depois tive uma prova escrita [que até estava dominando bem o conteúdo, mas não valia ponto] e uma de escuta [que estava passando o maior aperto, e pra ajudar, valia ponto! :( ].

Aliás, se gostar do idioma espanhol e quiser pegar algumas ter algumas aulas gratuitas, clique na Coleção abaixo:


Resolvidas as pelengas, esperei a Lu chegar e voltei ao Serviço. Quando ela chegou, finalmente fomos ao Bandejão, um dos restaurantes que atendem a comunidade da UFMG, para almoçar. De bucho cheio tivemos que andar realmente um bocado no sol escaldante [esse sábado o sol estava pelando de tão quente] até chegar na Abrahão Caram, que era a melhor saída para irmos ao Parque Guanabara. Lá demos sorte e pegamos o bus rapidamente.




Paramos praticamente ao lado do parque, bastou apenas atravessar a rua e já chegamos lá.





A primeira coisa que notamos desde lá de fora é aquela imponente Roda Gigante. Para entrar os visitantes devem passar pela bilheteria e pagar apenas R$ 2,00 [Valores de 2015].



O Parque em si é pequeno, mas há muitas atrações e dá para se divertir facilmente gastando apenas um dos períodos do dia [Manhã, tarde ou noite. Por exemplo, eu e a Lu fomos na tarde do sábado e mesmo assim curtimos bastante por lá]. Vale sempre lembrar que em datas comemorativas, feriados, eventos do parque, períodos de férias e início do mês certamente o movimento será muito maior. Como fomos na metade do mês de outubro, acredito que pegamos uma boa data pra curtir tudo do jeito que queríamos sem nos preocupar com grandes filas.



Para ter mais informações sobre o parque, incluindo horários e seu mapa interativo, clique no botão abaixo:


O parque funciona assim, para brincar nas atrações os visitantes devem seguir para a bilheteria e adquirir o Diver Card, em que você usa seu dinheiro para carregar o seu cartão, já a grande maioria das barracas de alimentação ou de compra deve-se usar dinheiro-vivo. A vantagem do cartão é que, quando se gasta mais de R$ 40,00 todas as atrações passarão a ter 10% de desconto. Se sobrar alguma coisa no cartão quando tiverem terminado não fique preocupado. Se tiverem pago em dinheiro, você pode devolver o cartão e recuperar seu dinheiro. Outra opção possível é deixar o dindo restante para usá-lo em outra visita. [Regras de 2015, confira o site oficial para confirmar se não mudaram]





Quanto aos valores, não precisa se preocupar. A grande maioria dos brinquedos possuem preços entre R$ 4,00 e R$ 8,00, sendo que poucos chegam a R$ 10,00 [Ao menos em 2015, quando fomos lá]

No Guanabara existem atrações para toda a família, para jovens e adultos e, se estiver com crianças, saiba que esse é o lugar certo para se ter muita diversão, pois existem dezenas de atrações voltadas para elas, como as citadas abaixo:

Safári [Trenzinho]:







Aqui as crianças realizam um passeio nesse trenzinho com formato de elefante.

Rali [Carrinho]:





Mesma ideia do trenzinho, mas aqui as crianças fazem esse passeio com carrinhos individuais (ou em duplas, caso desejem).

Patinho:



Quem não ama os patinhos? O legal dele que é na água.

Carrossel:



Outro brinquedo muito tradicional nos parques, remete à infância e faz com que tenhamos boas lembranças do tempo em que éramos pequenos, além de ser diversão certa para os pequenos, realmente um clássico!

Bumper Boat:





Um passeio de bote em pleno parque. Aqui você tem que ficar de olho para não se molhar [ou molhar os outros]!

Red Baron (Aviãozinho):



Aqui as crianças dão várias voltas usando esse aviãozinho.

Bate-Bate:



Um dos brinquedos mais tradicionais nos parques, e sempre um dos mais divertidos, principalmente para as crianças.

Trem-Fantasma:



[Não confunda isso com o Castelo dos Horrores, esse aqui é um passeio bem curto voltado para assustar apenas os pequenos, para entender melhor assista ao vídeo abaixo]


Esse passeio foi realizado por outra pessoa, estou colocando aqui apenas para ilustrar como o foco dele é somente para os pequenos. Se estiver com jovens ou adultos, vá ao Castelo dos Horrores ao invés de ir nesse brinquedo.

A estrutura de alimentação do Guanabara também é bem completa e aqui você facilmente consegue comprar sorvetes, água, picolés, refri, balas, guloseimas e salgados em geral, além também de outras coisas que os meninos gostam, como algodão doce. As banquinhas são bem higiênicas e possuem um preço mais ou menos em conta.





Além do que existe aqui, também há os vendedores ambulantes que ficam na parte de fora do parque e ainda o Restaurante Guanabara Grill, que fica do lado de fora, quase colado no Guanabara. Se estiver de carro ou tiver disposição de andar e pagar um pouco mais caro existem outros excelentes restaurantes na Orla da Pampulha.

A primeira coisa que fizemos foi subir na Roda Gigante do Guanabara, que é realmente muito alta.

Roda Gigante:







Ela é muito segura, o funcionário guia o visitante até dentro da casinha e fecha a portinha, dessa forma não há perigo de ocorrerem acidentes. A Roda Gigante começa devagarinho e vai elevando cada vez mais o ponto em que você está.


Tradicional careta com língua para fora da Luciana!
Essa é uma das maiores Rodas-Gigantes do Brasil e é capaz de elevar o visitante a 36 metros, de forma que a gente consegue ver todo o parque, uma boa parte de Belo Horizonte, inclusive alguns de seus cartões postais, como a Lagoa da Pampulha, o Mineirão e o Mineirinho.

Vista do Alto:























Apesar daquele friozinho na barriga, como as casinhas são todas fechadas, dá pra aguentar na boa. Agora segue-se um vídeo para mostrar melhor como é a Roda Gigante daqui:


Depois de efetuar várias voltas a gente desce e volta para as atrações do parque novamente.



Para nosso segundo brinquedo resolvemos adicionar um pouco mais de adrenalina, então entramos no Skyfall.

Skyfall:

Esse é o brinquedo mais radical do Guanabara, basicamente funciona assim: Os visitantes devem sentar nessas poltronas e se prendem com a haste de metal [que funciona como se fosse um cinto de segurança para evitar acidentes], e assim essa plataforma é elevada, elevada, elevada, até chegar a impressionantes 60 metros de altura [quase o dobro da roda gigante], e quando você acha que ela vai subir mais ela despenca de uma vez e cai subitamente, o que gera um boa dose de adrenalina.









Imagine que você estivesse olhando a partir do chão. É assim que você veria a Torre do Skyfall:



Na nossa vez, quando o Skyfall desceu de uma vez eu dei o maior gritão:

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!

Fui pego de surpresa porque achei que a plataforma subiria um pouco mais e ela desceu de uma vez. Vale a pena ir e é muito divertido, realmente o brinquedo faz jus ao seu nome: Skyfall [Sky - Céu; Fall: Cair - Tradução Literal: Cair do Céu].

Em outro momento, enquanto andávamos pelo parque, fiz um vídeo, que estarei postando agora para mostrar como o Skyfall funciona:


NOTAS: Não é permitido filmar ou tirar fotos lá de cima, quem fizer isso terá todos os pontos do Diver Card anulado como punição.

Aqui o frio na barriga foi bem forte e ao sair até ficamos tremendo um pouco, pelo susto! Então resolvemos comer alguma coisa pra repor as energias e nos animar de novo. E para isso nada melhor do que um bom picolé!



Em seguida fomos conferir o que era a atração o Mistério da Monga.

Mistério da Monga:

Após algumas explicações, o funcionário da atração nos passa um vídeo:


Depois do vídeo tivemos que seguir para outra sala, e ali aconteceu uma transformação bem interessante [que acabei não vendo de vacilo, pois estávamos numa sala super escura e a Lu ficava empurrando o meu braço (eu achei que ela estava querendo sair, mas na verdade ela estava vendo a transformação da Monga) e me puxava para que eu visse também] - Quando estiverem aqui não fiquem olhando pro desenho do gorila na parede, ali não tem nada, olhe aos arredores e procure pela mulher que você entenderá o que digo.

Como eu não tinha visto tudo não me assustei, já a Lu que viu essa transformação soltou meu braço e pulou pra fora da sala. [Não vou contar o que acontece aqui para não tirar a graça do Mistério da Monga]

Pode ficar tranquilo que o Parque Guanabara é bem pequeno e fácil de se localizar, em caso de dúvida basta dar uma rápida olhada para as placas de orientação que com poucos segundos você já saberá pra onde quer ir.





Outros brinquedos interessantes, mas que não entramos neles, foram o Surf, o Twist, o Palácio do Riso e o Piratas do Caribe, que serão mostrados abaixo:

Surf:



Aqui você senta nesse brinquedo e a plataforma se eleva um pouco e realiza diversos movimentos circulares, como se fosse uma onda.

Twist:



Aqui os visitantes sentam no banquinho que fica girando no alto, em movimentos circulares, causando uma sensação "gostosa" de adrenalina e aquele friozinho na barriga.

Veja o vídeo abaixo para ver como o Twist funciona.


Palácio do Riso:



Nessa atração há diversos espelhos que geram formas variadas e engraçadas, gordinhos ficam magrinhos, altinhos viram baixinhos e mais alguns efeitos interessantes para as criancinhas. Veja o vídeo abaixo, feito por um internauta, para conhecer mais sobre esse brinquedo.


Piratas do Caribe:



Tem como tema uma das produções mais populares de Hollywood e aqui basicamente "balança" de um lado para o outro, mas em uma boa altura e beeemmm rápido, sem contar que você vai de frente e volta de costas!

Em seguida fomos para o Minhocão, que é um brinquedo bem legal.

Lagarta (Minhocão):











Essa lagarta gigante faz um caminho circular em uma espécie de mini-montanha russa e faz voltas e mais voltas com evoluções que provocam aquele friozinho na barriga. Veja o vídeo que fiz aqui:


NOTAS: Todos os vídeos que fiz por aqui sempre foram bem curtos porque serviam apenas para mostrar como era a atração, então depois que eu gravava um pouco começava a apreciar melhor o brinquedo que eu estava com a Lu.

Dali fomos para o Skate.

Skate:













Olhando de longe tem realmente o formato de um skate, e segue de um lado para o outro enquanto vai ganhando altura, o mais legal aqui é que nem um skate tradicional, esse brinquedo também realiza algumas manobras radicais que dão um bom friozinho na barriga [mesmo para pessoas como eu e a Lu que tínhamos passado esse dia quase todo no alto brincando nos brinquedos do Guanabara].

Veja o vídeo que fiz para mostrar como é esse brinquedo:


Ele é bem legal, mas nós já estávamos a muito tempo no alto [esse deve ter sido o dia que passei mais tempo fora do chão durante toda a minha vida] e eu já tinha começado a sentir o baque de ter acordado tão cedo e me esforçado tanto durante a semana, então resolvemos ficar no chão e testar nossas habilidades nos jogos que o Parque nos disponibiliza.

Upla (Jogo das Argolas):





Aqui nos dão algumas argolas e o objetivo, claro, é jogar as argolas e fazer com que elas fiquem em uma dessas caixinhas, é simplesmente difícil demais. A Luciana não conseguiu acertar nenhuma. Andamos um pouco e tentamos outro que pensamos que era mais fácil [ledo engano nosso, exige muita habilidade da pessoa também].

Vira-Latas:





É uma espécie de tiro ao alvo com um canhão de bolinhas e o objetivo é derrubar as latas na parte de dentro. Cheguei até a acertar algumas, mas a cada erro as latas são dispostas novamente e exige uma boa mira do usuário, algo que eu e a Lu não temos.


Acertei, mas faltou uma latinha "sobrevivente" para atrapalhar de ganharmos a nossa querida prenda! ::bruuu::
Vizinho ao Vira-Latas estava o Tiro ao alvo tradicional, mas preferimos não ir nele.

Tiro ao Alvo:





Pra quem tem boa pontaria é uma boa pedida! Basta derrubar as coisas para ganhar a sua devida prenda.

Golden Goal:





Outro que apenas olhamos e não jogamos foi o Golden Goal, em que o visitante deve chutar a bola e acertar um dos quatro buracos que estão na parede para ganhar prendas.

Por fim, decidimos testar nossa habilidade em outro jogo tradicional, o Boliche.

Boliche:





Dessa vez tivemos sorte e conseguimos algumas prendas, não o que realmente desejávamos, mas pelo menos não saímos de mãos vazias.





DICA: Se você tiver um pouco de habilidade nesse jogo, não tente conseguir o máximo de pontos. Ao invés disso, primeiramente observe o valor das prendas que você acha mais interessantes e depois tente fazer exatamente esse número de pontos. Lembrando sempre que os prêmios top de linha costumam custar uma quantidade bem pequena de pontos.

Área dos Games:

Quando você se cansar dos jogos comuns poderá ir até a Área dos Games, uma área inteira dedicada a jogos de Fliperama, simuladores de corridas, jogo do disco, além de outros jogos eletrônicos e também alguns focados exclusivamente para os pequeninos, como o Helipopi, os carrinhos e o simulador do pônei.










Boliche Virtual: Você joga a bola que é de verdade e vê se acerta os pinos de boliche dentro da tela desse jogo.




Helipopi.
Carrinhos.
Jogo do Pônei: Aqui a criança sobe num pônei de brinquedo enquanto brinca no jogo controlando o "pônei da tela".
Eu e a Lu jogamos no simulador do carro para testar nossa habilidade e também fomos muito mal [a Luciana foi horrível porque mal conseguiu sair do acostamento, já eu fiz as voltas mas não consegui ganhar os pontos do jogo]. O legal aqui é que se você joga e ganha os pontos do jeito certo, consegue tickets que podem ser trocados por prendas, algumas simples e outras bem legais.


Estante com as prendas.
Daqui fomos ao Castelo do Terror, mas como ele só abriria novamente às 16:20h voltamos novamente para a Área dos Jogos e entramos no Cine 6D, uma atração super interessante.







[Não dá pra ver direito a tela porque a pessoa deve usar os óculos 3D] - Aqui o visitante tem direito a escolher um entre as 6 opções de filmes disponíveis, os mais pedidos pelo público são a Guerra Intergalática e o Mundo dos Dinossauros, porém também há outras opções, que vão desde a Fábrica de Chocolates até a Mina de Ouro.

No cine 6D, além de ver tudo em 3D [algo que por algum motivo eu tenho bastante dificuldade] a gente sente algumas sensações externas, como a sensação de estar ventando [mesmo não tendo nenhum ventilador no local] e até alguns pingos d'água, super legal! Sem contar que as poltronas vibram e viram um pouco quando fazemos as curvas, o que contribui ainda mais para a sensação de que estamos nos movendo.

Agora sim fomos a Casa dos Horrores, mas vou deixar por último pra fechar o Parque Guanabara com chave de ouro, deixando a sua melhor atração para o final. Quando saímos de lá resolvemos conseguir mais algumas prendas pra dar de presente ao Lolô, o sobrinho da Lu que ainda fará 1 ano.

Ganhando pontos na Área dos Games:

Se você é como nós e não tem muita habilidade nos outros jogos, vá ao Jogo de Bater o Martelo, que ele é excelente para ganhar tickets.







Basicamente, empunhe o martelo e bata-o com força no pino. Se conseguir uma boa força dá pra ganhar cerca de 8 tickets numa mesma cartela. Só com isso eu e a Lu já conseguimos algumas coisas bem legais pra dar ao Lolô, como por exemplo, um celular de brinquedo da Galinha Pintadinha.



Já se você tem habilidade, tente a roleta da sorte, que poderá ganhar muitos tickets mesmo, a exemplo do cara abaixo, que pegou o jeito e com certeza pôde aproveitar pra conseguir prendas muito melhores.


Veja quantos tickets ele conseguiu, e ainda nem tinha parado de jogar!
A ideia aqui é fazer com que a moeda passe para o outro lado, como se fosse uma ponte, e se conseguir a roleta irá girar, com boa sorte dá pra ganhar vários tickets de uma vez só.




Tente fazer com que a moeda desça pela seta (que funciona como uma ponte) para fazer a roleta girar e ganhar muitos tickets
Como a Lu não foi boa na roleta preferimos nos focar no martelo mesmo. Se você inserir duas moedas onde tem umas espécies de casinhas de bolinhas, apelidadas pelo Lu carinhosamente de Pockebolas, dá pra ganhar uma mini-prenda, como por exemplo, um Dedochi [Fantochi de dedo].


Insira as moedas.
Consiga sua prenda: no nosso caso, um dedochi dos Minions.
Voltando ao Castelo do Terror...

Apesar de não ter sido a última atração do parque que visitamos nesse dia, preferi mostrá-la por último no blog porque, ao menos para mim, o Castelo dos Horrores é sem dúvidas o ás do Parque Guanabara, sendo sem dúvida uma de suas atrações mais elaboradas e interessantes.



Mas antes de entrar no Casarão existe uma lojinha bem interessante, em que existem diversas lembrancinhas personalizadas do parque e também fazem tatuagens muito legais, que deixam as pessoas como se estivessem com feridas de zumbis.



Para entender melhor, veja o vídeo da reportagem abaixo:


Castelo dos Horrores:





Após comprar meu Souvenir fiquei esperando dar o horário para a atração ser aberta novamente, já a Luciana sequer pensou em entrar, não quis ir lá de jeito nenhum e preferiu ficar me esperando do lado de fora. Antes de entrar a gente fica com cara de confiança e pose de fodão!





A parte externa do Casarão é muito bem enfeitada e dá pra perceber diversos detalhes, inclusive há um mini-cemitério de decoração, que é bem legal.



Na primeira sala que passei nos apresentaram sobre as regras e disseram que nenhum dos "hóspedes da casa" poderia tocar nos visitantes e nem os visitantes tocar neles, mas o funcionário já começou avisando com aquele tom meio macabro. Após isso pediu para encostarmos na parede e...

PÁ - PÁ - PÁ [Som de batida forte nas paredes - Aqui já tomamos o maior sustão!]

Começaram a bater forte nas paredes e ouvimos vários gritos, só ali a gente já assusta bastante com o clima de terror do Castelo dos Horrores. Dali fomos para a 2ª sala, em que alguém vestido de demônio nos conta mais um pouco sobre as regras, já gelamos mais um pouco, e também fomos apresentados ao seu servo corcunda que pede para que o sigamos, ele também fala e age de um jeito que nos assusta mais um tiquinho.

Na outra sala, quando estava andando olhei para trás e vi um caixão se erguendo em minha direção, não me preocupei, mas quando dei por mim uma pessoa vestida de vampiro chegou bem perto de mim, puts! Tomei o maior susto porque num minuto ele estava longe e no outro já estava na minha cola, ali dei no pé e fomos pra outra sala. Em que vimos zumbis que gritavam [além daqueles gritos da casa e das batidas na parede que nos fazem até gelar], passei [quase] correndo por mais duas salas que mal vi o que tinha porque saí correndo assustado e desviando dessas coisas [acho que outros zumbis], e...

... chegamos em outra sala, em que uma menina de branco foi "exorcizada" pelo servo, só ali já nos assustamos ainda mais, mas o Zumbi próximo dela tratou de fazer com que a gente saísse dali bem rápido, pensei, finalmente estou na última sala [porque dava para ver a luz da saída], agora posso ir devagar e com calma.

BAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!

Apareceu alguém vestido de Jason [com a serra elétrica na mão], só sei que dei o maior pulão que eu estava dentro da sala e com meu pulo já estava fora dela de tamanho o susto que tomei na hora que vi aquele cara com a serra elétrica!

Minha reação foi algo tipo isso:

Reprodução/Buzzfeed

Smiley assustado

[A diferença é que ao invés de estar a tartaruga aí estava o Jason com a serra elétrica na mão e aquela máscara assustadora!]

Para você ter uma ideia, normalmente é assim que os visitantes costumam sair dessa sala: Correndo!


[Só que na nossa vez o ator não saiu da sala].

DICA: Se possui algum interesse em ir na Atração do Castelo do Horror, apenas vá e não tente procurar nada pela Internet ou pelo Youtube, assim tudo o que ver por lá será novidade e surpresa, o que deixará tudo muito mais legal, interessante, medonho e divertido!

Para fecharmos o assunto do Castelo do Terror com chave de ouro, coloquei alguns gifs de terror que você poderão ver ao descer a barra de rolagem para baixo.

.
.
.
.
DESCER
.
.
.
.

08 - As surpresas da floresta

07  - A cadeira de balanço que não está sozinha

O menino under the bed

gifs-assustadores-8

gifs-assustadores-11

gifs-assustadores-18

gifs-assustadores-19

gifs-assustadores-22

gifs-assustadores-24

gifs-assustadores-4

tumblr_mydp40vJch1sba86co1_400

gifs-assustadores-1

gifs-assustadores-12

gifs-assustadores-29

a nightmare on elm street animated GIF

80s animated GIF

scary animated GIF

.
.
.
.

Agora faça o mesmo de antes (continue descendo com a barra de rolagem lateral)

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Pra não ficarmos apenas com aqueles gifs feios e fecharmos o parque com boas energias, segue-se mais uma tentativa de assustá-lo...



... dessa vez com muita fofura.

Antes de sair resolvemos comer um salgado e claro, tirar uma foto com a Roda Gigante ao fundo para virar a Capa do Facebook [e também do Blog, ao menos até a próxima viagem interessante].



E saímos do parque.





Se não quiser comer dentro do Parque há vários vendedores ambulantes que vendem desde brinquedos até alguns lanches como espaguete e cachorros-quentes.

As pessoas que estavam no ponto próximo dali estavam esperando o bus a mais de 40 minutos [porque havia uma reforma próximo da Igreja São Francisco de Assis e na verdade os ônibus não estavam passando por ali], então resolvemos ir próximos da Lagoa da Pampulha para finalmente conhecer de perto essa Igrejinha, que é um dos Cartões Postais mais famosos de Belo Horizonte.

Igrejinha da Pampulha:

Avistamos ela por fora e tiramos uma foto juntos no mural dos fundos.









Estava até acontecendo um casamento lá na hora, por isso preferimos não nos aproximar e seguimos andando a pé pela orla da Lagoa da Pampulha até chegar próximo do Mineirão, onde esperamos por algum tempo e pegamos um Move, que foi até a Cabine da UFMG.

Ao descer no Move tivemos um problema, eu passei normal e a porta fechou antes da hora e bateu no rosto da Luciana, o que gerou um pequeno inchaço no rosto dela [e um risquinho na bochecha devido a pancada] e ela chorou demais por conta disso!

Na foto abaixo não deu pra ver o inchaço, mas olha a cara dela de raiva depois de parar de chorar!



E ela foi reclamar com o guarda que não tinha nada a ver com isso [afinal, ele é pago apenas pra evitar que as pessoas depredem o local e que entrem sem pagar, e não para aguentar insatisfação dos usuários].



Após acalmar um pouco a Lu, o guarda anotou sua reclamação e saímos dali pegando outro Move, que dessa vez foi até o Centro e de lá o coletivo, em que retornamos até nossas casas.

Passeio Finalizado. O Souvenir que adquiri no Parque Guanabara foi esse aqui:



Fim!

Se tiver gostado desse Relato e deseja conhecer outros, clique na Coleção abaixo e veja os que você achar mais interessantes:


Até a próxima viagem!


O_____O

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Botão Voltar ao Topo